• Matheus Philip

Ampliação da testagem para COVID-19 mostra mais casos

Outros fatores também foram apontados pelo prefeito como desencadeadores do aumento, como a contaminação em hospital filantrópico

Foto: Emerson Dias

Na noite de domingo (24), o prefeito Marcelo Belinati conversou com a população sobre o aumento de casos confirmados de Covid-19 em Londrina, em live transmitida nas redes sociais. De acordo com o último Boletim da Secretaria Municipal de Saúde, que foi divulgado ontem, foram confirmados 272 casos da doença causada pelo novo coronavírus. Ao todo, o município chegou a 20 falecimentos e 122 pessoas curadas. Outras 164 pessoas estão aguardando o resultado dos exames e 1.656 deram negativo para a doença.


O prefeito explicou que o crescimento de confirmados deve-se ao maior número de pessoas que estão sendo testadas em Londrina. Em comparação com uma semana atrás, houve um acréscimo de 146 novos casos de Covid-19 e cinco óbitos a mais. “Estamos fazendo um número maior de testes em Londrina. São cerca de 90 testes por dia, o que é quatro vezes a mais do que no início da pandemia. Outro fator foi o surto de casos na Santa Casa e os testes nos asilos. Os números vão continuar subindo, porque os especialistas acreditam que a pandemia só vai começar a diminuir no final de julho e começo de agosto”.


Para tentar barrar o aumento de novos casos em hospitais, em especial na Santa Casa de Londrina, a Vigilância Epidemiológica e uma equipe de especialistas estão monitorando diariamente os profissionais da Santa Casa e os pacientes estão sendo testados. Isso porque, 65 trabalhadores do referido hospital foram confirmados com Covid-19, sendo que quase metade deles é profissional da saúde. Entre as medidas aplicadas estão a restrição de internação de novos pacientes, isolamento e testagem dos pacientes com sintomas, testagem de todos os funcionários da Santa Casa (com e sem sintomas), ampla desinfecção do hospital, reforço no uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para proteger os colaboradores e o monitoramento diário da Vigilância Sanitária e Epidemiológica no hospital.


Além disso, o Município confirmou o falecimento de um senhor de 94 anos, ocorrido na madrugada de quinta-feira (21) devido ao Coronavírus. A Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) onde ele morava testou os 52 funcionários e os 65 idosos que moram no local, para verificar se houve a contaminação dos mesmos. “A notícia boa é que todos os testes feitos nos idosos e nos funcionários de saúde vieram negativo. Isso nos traz uma tranquilidade e, agora, vamos testar todos os asilos”.


Desde o início da chegada do primeiro caso confirmado da doença, Londrina vem aplicando um plano de contingenciamento para os idosos que moram nas ILPI, mais conhecidas como asilos. Isso porque, o público atendido por estas instituições é considerado de risco devido à idade avançada, às comorbidades associadas e à fragilidade na saúde, o que os tornam um público vulnerável. Ao todo, em Londrina há 18 asilos, que atendem 589 idosos e contam com 410 funcionários.


Medidas mais rigorosas –Para ajudar na contenção do avanço da Covid-19, a Prefeitura de Londrina estabeleceu normas mais rigorosas como a aplicação de multas e até o fechamento de estabelecimentos que desobedecerem às normas. Até o momento, a Prefeitura já doou 70 máscaras às pessoas que se encontraram desobedecendo a obrigatoriedade do uso das mesmas, registrou e atendeu 445 denúncias feitas pela população, sendo que, por exemplo, 105 referiram-se à estabelecimentos comerciais e 25 a eventos que estão proibidos, como campeonatos recreativos, partidas de futebol e festas que aglomeram pessoas. “Com a diminuição das temperaturas e a chegada antecipada do frio vai aumentar o número de pessoas com resfriados e síndrome respiratória aguda grave, por isso que temos que nos proteger, fazer o distanciamento social, usar máscaras, não aglomerar e não fazer festa”, orientou o prefeito.


Matéria: N.Com

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 por LondriMoney