• João Escapelato

Liga Nacional de Futsal terá novo modelo de disputa

Competição foi suspensa devido à pandemia de Covid-19

Prevista para começar no último dia 27 de março, a abertura da Liga Nacional de Futsal não deve começar antes de agosto. A competição, suspensa devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) depende da realização de uma assembleia entre os representantes das 21 franquias participantes, para ter seu modelo de disputa e calendário definidos. É o que explica o vice-presidente das áreas técnica e administrativa da Liga, Luiz Henrique Taveira, durante entrevista.


"Em função do calendário cada vez mais apertado, trabalhamos com esses dois modelos: um que é a divisão dos times em dois grupos, e outro com a divisão em três grupos, de forma regionalizada. Pelo prazo, o modelo anterior - com os times jogando em turno único e playoffs - não daria mais para fazer", analisa Taveira. E ressalta ainda que “antes de julho a gente já sabe que não dá, devido aos protocolos que a gente têm visto de cidades e estados que envolvem os times. Não cravo, mas não trabalharia com julho, não".


Segundo o dirigente, a liga trabalha, atualmente, com três cenários para o início da temporada. "Início de agosto, meados de agosto e início de setembro. A cada 15 dias para frente a gente caminha também, com o cenário entrando em meados de setembro e até outubro. E o formato pode chegar no extremo de ser um mata-mata, um playoff direto. A gente terá que ir passo a passo, estudando possibilidades", descreve.


A premissa da Liga é concluir a temporada até 20 de dezembro. A previsão é que as equipes tenham uma pré-temporada de 15 dias, após a liberação para retomada de atividades coletivas, com possibilidade até de realização de amistosos. Por enquanto, os times que retomaram os treinos ainda trabalham com grupos reduzidos, de quatro a seis atletas.


A região Sul, onde os estados iniciaram a flexibilização das atividades antes de outras partes do país, concentra a maior parte das franquias que recomeçaram os treinamentos presenciais. A atualização do cenário de propagação da covid-19, levando em conta o aumento do o número de casos confirmados da doença, pode alterar a situação de algumas equipes. Os jogadores do Carlos Barbosa, por exemplo, terão de voltar a treinar em casa. A área onde fica a cidade gaúcha, que dá nome ao time, teve piora nos índices de Covid-19 e encontra-se com atividades não essenciais restritas.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 por LondriMoney