• João Escapelato

Programa busca controle de efeitos de mudanças climáticas no estado

A secretaria paranaense de desenvolvimento sustentável e turismo assinou um convênio no valor de R$ 3,4 milhões com o Simepar para a implantação do programa

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo assinou um convenio no valor de R$ 3,4 milhões com o Sistema Meteorológico do Paraná para a implantação do programa Sinais da Natureza. O programa é uma proposta da pasta para o desenvolvimento de projetos e ações de prevenção e mitigação de controle dos efeitos das mudanças climáticas.


Entre outras ações, o recurso será destinado para a implantação do Programa Paranáclima que vai atender às diretrizes do Plano Nacional de Mudanças Climáticas e o compromisso firmado pelo Paraná com o Governo Federal para reduzir as emissões de gases efeitos estufas.


Sobre a assinatura do convênio, o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Marcio Nunes, destacou que a criação da secretaria, em 2019, foi o pontapé inicial para que o Paraná traçasse a trajetória para o crescimento sustentável. “O Paranáclima é fruto dessa visão do governo Ratinho Junior”, disse o secretário.


“Não foi apenas uma mudança de nome. Mudamos o DNA da Secretaria, e o Simepar é um desses eixos que veio fortalecer e somar no entendimento de que vivemos uma crise climática e só atingiremos nossas metas identificando os sinais que a natureza está nos enviando. O Paranáclima é um componente dentro do Programa Sinais da Natureza, que será construído por vários atores,a partir de levantamento de dados e interpretação de cada situação em particular”, explicou Nunes.


Charles Carneiro, engenheiro e coordenador de Projetos Sustentáveis da secretaria estadual, salienta que o programa vai diagnosticar as emergências climáticas do Paraná, dentro da gravidade do problema e da realidade do País. Segundo ele, com a sondagem e o levantamento de dados será possível fazer a diferenciação em termos de impacto, conforme vocação e adaptabilidade de cada região.


“Com um estudo pormenorizado podemos identificar áreas de maior fragilidade e vocacionar melhor os programas desenvolvidos no nosso Estado. Essa é a missão do Paranáclima, que será formatado nesse contexto do Programa Sinais da Natureza, anunciado hoje”. Ele ressaltou que também vão propor ferramentas para sistematizar as informações coletadas, criando programas que estimulem a mitigação.


O diretor-presidente do Simepar, Eduardo Alvim, disse que o Sinais da Natureza é um projeto que vai dar um rumo para o Estado com relação às mudanças climáticas. “A partir disso, será possível criar um plano com medidas regionalizadas, em conformidade com o Plano Nacional, fazer prognósticos e antecipar medidas mitigadoras e minimizar efeitos do aumento da temperatura, com um trabalho de curto, médio e longo prazo”. Espera-se que o desenvolvimento contenha um pouco os danos causados por tempestades, como nas recentes semanas, onde parte do estado esteve sem energia.


Com AEN


  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 por LondriMoney